Dois militares da ditadura argentina são condenados à prisão perpétua

RIO – A Justiça da Argentina condenou nesta quinta-feira à prisão perpétua dois militares por 156 crimes realizados durante o período da ditadura no país, entre 1976 e 1983, informou o site do jornal “Clarín”. Cinco agentes penitenciários receberam setenças que variam entre 18 e 22 anos de prisão.

O ex-general Héctor Gamen, 84 anos, e o ex-coronel Hugo Pascarelli, 81, foram condenados a pena de prisão perpétua por homicídio qualificado, privação ilegítima da liberdade e tortura no centro clandestino conhecido na época como El Vesubio, por onde passaram o escritor Haroldo Conti, o roteirista Héctor Oesterheld, a alemã Elisabeth Käsemann e os franceses Françoise Dauthier e Juan Soler.

O coronel Pedro Durán Sáenz, que comandou esse centro clandestino durante a ditadura, morreu em junho, no meio do julgamento.

O julgamento foi aberto em fevereiro de 2010 e diz respeito a 156 crimes, entre eles 17 fuzilamentos.

Pelo El Vesubio passaram 2.500 prisioneiros, entre 1976 e 1978, quando o centro foi demolido.

Fonte: O Globo

Relacionado ao assunto, a Editora Revista dos Tribunais publicou a obra: Crimes da Ditadura Militar

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: