Doutrinas Essencias – Direito Registral

O Des. Ricardo Dip, da 11ª Câmara de Direito Público, coorganizou, para a coletânea “Doutrinas Essenciais”, os sete volumes de Direito Registral: Doutrinas clássicas, enfoque atual, em que também se publicam alguns de seus próprios escritos sobre Registros Públicos.            

A editora Revista dos Tribunais acaba de anunciar o lançamento de mais uma coletânea de suas Doutrinas Essenciais, agora com mais de uma centena de estudos sobre Registros públicos.
Trata-se de uma relevante documentação histórica do Direito registral pátrio, com a reunião dos estudos que, ao largo de um século, foram publicados, entre outros periódicos, na “Revista de Direito Imobiliário”, na “Revista dos Tribunais”, na “Revista de Direito Administrativo”, na “Revista de Direito Privado”. 
A organização da obra –que se estende por sete volumes– coube ao Des. Ricardo Dip, da 11ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, e ao Registrador paulista Sergio Jacomino.
Estudos importantes já dos primórdios do século XX (por exemplo, os de Affonso Dionysio da Gama, de Almeida Prado, de Astolpho Rezende, de Clovis Beviláqua, de Eduardo Spínola, de Francisco Morato, de João Mendes de Almeida Júnior, de Philadelpho Azevedo, de Paulo de Lacerda, de Spencer Vampré, de Tito Fulgêncio) convivem, nessa coleção, com escritos, estes um tanto mais recentes, de Afrânio de Carvalho, de José Frederico Marques, de Elvino Silva Filho, de Gilberto Valente da Silva, de Noé Azevedo, de Serpa Lopes, de Vicente Ráo, de Washington de Barros Monteiro, até encontrar, já em nossos dias, autores do porte –entre tantos e outros de também elevada estatura intelectual– de Caio Mário da Silva Pereira, Celso Antônio Bandeira de Mello, Décio Antônio Erpen, Diógenes Gasparini, João Teodoro da Silva, Nascimento Franco,  Orlando Gomes, Ruy Cirne Lima, Silvio Rodrigues, a cujos escritos se agremia, na obra, a amplamente reconhecida contribuição científica da Magistratura do Estado de São Paulo.
A esse propósito, com efeito, avistam-se na coleção estudos de inúmeros Magistrados paulistas, entre eles alguns hoje integrantes de nossa Seção de Direito Público (Ivan Sartori, José Renato Nalini, Venício Salles, Luís Paulo Aliende Ribeiro, Rui Stoco, Vicente de Abreu Amadei).   
A obra ainda ostenta estudos escritos por seus próprios organizadores.
Enfim, como remata a apresentação da coletânea:
Revisitar essa documentação permite o reencontro das ideias que fundaram e foram sedimentando, ao longo da história, a alçada instituição dos Registros Públicos brasileiros, que, em boa parte de nossa terra, está à altura dos melhores registros que se constituíram em todo o mundo.

Fonte: TJ-SP

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: